Notícias

Últimas postagens:

Inspirações para salas

As nossas casas estão cada vez mais incorporadas à nossa rotina, portanto aproveite para deixá-las mais aconchegante, confortável e com a elegância que sempre desejamos.

Leia mais »

O mármore é a rocha metamórfica originada de calcário exposto a altas temperaturas e pressão, conhecido por aspectos comerciais e pelo significado etimológico.   Comercialmente são classificadas como mármores, todas as rochas carbonáticas capazes de receber polimento. A composição mineralógica depende da composição química do sedimento e do grau metamórfico, possibilitando uma grande variedade de cores e texturas. Já a história dos mármores antigos, em particular na Grécia antiga, era certamente difundida o mármore branco, chamado de o Pártenon, que foi o material utilizado na construção em Atenas.

Extraídos e utilizados no período do Império Romano, que na literatura específica encontram-se variedades de monumentos e esculturas durante os séculos. Com chegada do mármore em Roma era exclusivamente por iniciativa privada, pois sua utilização era limitada à realização de esculturas e sarcófagos. Entre os séculos, ás monarquias helenísticas deixaram uma herança de valor cultural à classe governante romana, que se apropriou dos valores ideológicos ligados à utilização do mármore branco e das pedras coloridas. Dessa forma, o caráter monumental da arquitetura romana foi assim introduzido através dos séculos com mármore em santuários, pórticos e templos.

Além da utilização arquitetônica, casas da aristocracia romana do final da República, utilizavam o mármore como uma representação do status do seu proprietário. Utilizado em decoração de interiores, em pisos e paredes construídos em opus sectile. Trata-se de uma técnica de arte e decoração, onde peças de pedras coloridas são arranjadas em painéis compondo uma imagem, que emprega peças maiores de formas variadas.

 

Com a queda do império romano, iniciou a idade média, onde utilizou a rocha em palácios, castelos, igrejas, monumentos, esculturas, praças, entre outros. Entre diversos países como a Itália, a Espanha, a França, a Finlândia e a Suíça, que usavam o mármore mediante ao grande comércio de rochas.

No século XIX tem início novamente no uso de rochas ornamentais para construção civil. Aumenta a produção do mármore de Carrara (cor branca ou azul-cinza) localizada em várias pedreiras e, conseqüentemente, a exportação de blocos, principalmente para a França, Alemanha e Estados Unidos. Nessa época começa também a extração de vários tipos de rochas ornamentais em muitos países da Europa.

A colocação do mármore na construção da arquitetura internacional moderna investe constantemente em novas tecnologias para o processo de extração e aprimorar tecnologias para o acabamento para atender às criações dos arquitetos mais arrojados. Utilizados na construção civil, aos populares para revestimentos internos, mobília, decoração e obras de arte, com diversidades de cores e texturas.

As maiores jazidas de mármore se encontram em regiões de atividade vulcânica e que possuem a rocha matriz calcária. Esse grau metamórfico juntamente com a composição química do mineral molda a rocha, criando variadas cores e texturas, tornando-se um material rentável na indústria de rochas ornamentais.

Um dos pontos de referência das maiores concentrações de mármore no mundo encontra-se no Brasil em Espírito Santo. Com o uso em diversos edifícios e monumentos, determinado a partir de testes e estudos.

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp